quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Alta Corte das Letras potiguares celebra 80 anos de história



Escritor Câmara Cascudo, em 1936; liderou o grupo de intelectuais que fundaria a ANRL (Foto: Reprodução).


Academia Norte- Rio- Grandense de Letras, em 14 de novembro de 2016, celebrará 80 anos de história, é composta por quarenta homens e mulheres notáveis, que enobrecem a cultura do Rio Grande do Norte, por meio de suas atuações nas atividades do espirito, com edições de livros e revistas literárias. Foi fundada em Natal/RN, por um grupo de intelectuais, liderados pelo escritor Luís da câmara Cascudo, em 14 de novembro de 1936, cujo lema "Ad Lucem Versos", vem do Latim Clássico, que traduzindo é: Rumo a Luz. Seu primeiro presidente foi o poeta Henrique Castriciano de Souza, secretariado pelos os também escritores Edgar Barbosa e Aderbal de França.

A corte dos intelectuais potiguares, por sua vez, segue o modelo, preconizado pela Academia Francesa (1635), e, consequentemente da Academia Brasileira de Letras (1887), fundada por Machado de Assis. A academia em tese, não se limita às letras, trabalha em direção da luz da cultura, em outros campos, persevera em defesa do patrimônio material e imaterial do Rio Grande do Norte.

Poeta Henrique Castriciano de Souza, foi o primeiro presidente da ANRL, secretariado pelos os também escritores Edgar Barbosa e Aderbal de França (Foto:Divulgação).

Na esfera literária, ao longo das últimas oito décadas, se faz presente na vida do Estado. De acordo com o seu presidente, poeta Diógenes da Cunha Lima, três recentes exemplos testemunham a participação social da ANL: a instituição do Parque das Dunas; a criação do presépio de NATAL (projeto de Oscar Niemeyer e do acadêmico e artista plástico Dorian Gray Calda) e a homenagem ao acadêmico Newton Navarro, nominando a "Ponte de Todos" sobre o rio Potengi.

Na instituição, há quarenta patronos, que denominam às quarenta cadeiras, ocupadas pelo acadêmicos, também chamados de imortais. Entre eles estão: Padre Miguelinho, Nísia Floresta, Amaro Cavalcante, Auta de Souza, Manoel Dantas Jorge Fernandes e outros, estão entre os personagens importantes da história do Rio Grande do Norte, homenageados pela academia.

Ainda conforme Diógenes na Cunha, em 2007, no prefácio do livro comemorativo dos setenta da ANL, organizado pelo jornalista José Soares Júnior, a sede na Rua Mipibu, no bairro de Petrópolis-Natal/RN, foi denominada: "Casa Manoel Rodrigues de Melo", em reconhecimento, ao selo e o trabalho inexcedível do homem de letras, que construiu o prédio que abriga o acervo da imoralidade.





Poeta Diógenes da Cunha Lima, preside a academia, a mais de três décadas (Foto Reprodução).

Escritor Manoel Rodrigues de Nelo, a época em que presidiu a academia, construiu o prédio sede (Foto: Reprodução).


Na segunda feira, 14 de novembro, dia do aniversário da ANL, conforme programação divulgada, haverá missa, palestras e sessão solene. Por outro lado, fonte extra-oficial, revela que neste mesmo data, o pesquisador Francisco Martins, estará vendendo o livro, que conta história, dos 80 anos de existência do santuário das Letras locais.

Prédio que abriga o acervo sede, cujas às colunas, foram  inspiradas no doço dos livro, localizada na rua Mipibu, no bairro de Petrópolis-Natal/RN (Foto: Reprodução);


Confira programação oficial dos 80 anos:



Capa de livro, que será lançado em comemoração aos 80 anos (Foto: Reprodução).

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

Copyright © O Jornal Da Serra | Powered by Blogger Design by ronangelo | Blogger Template Mais Template