Curso com certificado!

sábado, 4 de abril de 2020

Câmara aprova PEC do orçamento de guerra em 2º turno; texto vai ao Senado Fonte: Agência Câmara de Notícias

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta sexta-feira (3), a chamada PEC do “orçamento de guerra” (PEC 10/20), que permite a separação do orçamento e dos gastos realizados para o combate à pandemia de coronavírus do orçamento geral da União.
A proposta, de autoria do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e outros nove deputados de vários partidos, é a primeira a ser aprovada com o Sistema de Deliberação Remota (SDR) e precisa ser votada ainda pelo Senado. O relator do texto foi o deputado Hugo Motta (Republicanos-PB).
As regras terão vigência durante o estado de calamidade pública, e os atos de gestão praticados desde 20 de março de 2020 serão convalidados.
A intenção da proposta é criar um regime extraordinário para facilitar a execução do orçamento relacionado às medidas emergenciais, afastando possíveis problemas jurídicos para os servidores que processam as decisões sobre a execução orçamentária.
Um comitê de gestão de crise aprovará as ações com impacto orçamentário relacionadas ao enfrentamento do vírus, com poder de criar e destituir subcomitês. O comitê poderá ainda pedir informações sobre quaisquer atos e contratos celebrados ou que vierem a ser assinados pela União, suas autarquias, empresas públicas e fundações públicas, tendo poder de anulá-los, revogá-los ou ratificá-los.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Agência Câmara.

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Em Lagoa Nova, Gestão Municipal, começa atender reclamação publicada em O Jornal da Serra


Em Lagoa Nova/RN, o Governo Monicipal,  realizou aterro no trecho da rua Francisco Delmiro, em frente a Igreja Deus é Amor, local onde  O Jornal da Serra, colheu informações de que frequentadores da denominação evangélica e  moradores, das residências adjacentes, relataram  que a cada chuva, acontecem alagamentos de altíssimas proporções, que causam transtornos e impedem locomoções de pedestres. Nas nossas publicações online e no formato de mídia impressa, registramos recentemente, que  os Habitantes da área afetada, além do aterro,  desejam também que Secretaria de Obras e Mobilidade Urbana, realize a pavimentação da via. Vamos aguardar a efetivação, da segunda parte da reivindicação, dos moradores, defendida no Jornal, pelo Editor-Chefe Eliabe Alves.

LILLIAN LORENA É A NOVA SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GABINETE DE CERRO CORÁ


De acordo com a portaria 058/2020, do Diário Oficial desta quarta-feira 01 de abril, foi nomeada a Secretária Municipal de Administração e Gabinete a jovem Maria Lillian Lorena Silva dos Santos ( Lorena), a jovem é filha do ex-Secretário de Administração Francisco de Assis dos Santos (Santos Capote).

Lorena é estudante do 5⁰ período de odontologia, na Universidade Potiguar UNP, é uma jovem muito carismática, bastante religiosa e compõem o grupo de jovens EJC, com apenas 19 anos, assume a Secretaria de Administração e Gabinete.

domingo, 29 de março de 2020

Por Nós



Enquanto estamos em  quantena, contra o Covid-19, muitos agricultores  de Lagoa Nova/RN, verdadeiros heróis, acordanham cedinho,  derramom suor no arado,enxada, ordenha e colheitas, para não faltar opçães de alimentos em nossas casas. Aplausos, para nossa gente simples,  aguerrida  e  dedicada ao trabalho rural, como amigo agricultor Renato Rodrigues, que junto com a família, cultiva lavoura e cria animais no sítio Volta da Serra. Forte abraço, até!

Eliabe-O Jornal da Serra

#Quarentena#Agricultura#Alimentos

A Casa da memória norte-rio-grandense completa 118 anos de serviços prestados ao Rio Grande do Norte


A“Casa da memória norte-rio-grandense” é a marca registrada do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte. Porém, o que o termo significa? Qual a sua frelevância para a sociedade norte-rio-grandense nesses 118 anos de história?

Primeiramente, a imagem da Casa da Memória diz respeito ao seu comprometimento em preservar os milhares de documentos raros alusivos ao passado remoto e imediato do estado. Segundo, a mencionada alcunha justifica-se pelo seu interesse institucional em não deixar olvidar a memória histórica do estado. Nesse sentido, a imagem da Casa da Memória tem um duplo sentido: o da memória arquivada e o da memória histórica.

O IHGRN organizou uma memória arquivada por meio do ato de coligir e metodizar documentos referentes ao Rio Grande do Norte. Vale lembrar que o Instituto Histórico surgiu de uma necessidade política e territorial: reunir uma documentação que pudesse subsidiar a defesa do estado em relação à questão de limites territoriais com o Ceará na virada do século XIX e começo do XX. Nesse momento histórico, o Rio Grande do Norte não tinha uma instituição, como o Instituto do Ceará, que pudesse, concomitantemente, reunir uma documentação e a partir dela produzir e publicar um conjunto de textos acerca da questão de limites. Foi da necessidade de fornecer documentos para a defesa jurídica na querela territorial com o Ceará que começou a veicular, entre os círculos letrados e políticos do estado, a ideia de criação de um instituto aos moldes do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil (IHGB). Tal interesse foi concretizado em 29 de março de 1902 com a fundação do IHGRN. Durante muito tempo, o Instituto tornou-se uma espécie de arquivo do estado, copiando e reunindo um conjunto de fontes concernentes ao passado do Rio Grande do Norte. Mas não foi só isso.

O Instituto histórico produziu uma memória histórica para o estado, elaborando a partir dela uma articulação com a memória nacional. O IHGRN foi a instituição que formulou as bases da identidade histórica do estado. No jogo complexo de diatribes pela naturalidade dos personagens históricos, como Felipe Camarão, e pelo interesse em evidenciar o papel preeminente de Frei Miguelinho na Revolução de 1817, os sócios do IHGRN mobilizaram-se para construir o panteão de heróis norte-rio-grandenses. No começo do século XX, fazia-se necessário evidenciar a singularidade do estado no conjunto geral da nação. Era preciso assinalar o lugar do Rio Grande do Norte na construção da memória nacional. Dessa tarefa encarregou-se também o IHGRN.

Em termos atuais, a agremiação continua priorizando a preservação da memória documental e reforça a memória histórica produzida pelos seus associados, desde os primeiros anos de sua existência. O Instituto orgulha-se da
herança memorial e preserva a imagem de que a agremiação é a Casa da Memória norte-rio-grandense.

É no âmbito da Casa onde há o refúgio tranquilo contra os perigos e as ameaças dos que estão fora. É nela também que se produz uma memória comprometida com os valores e os interesses dos que estão dentro dela, daqueles que orbitam no espaço privado do Instituto. É a Casa da Memória, porque efetivamente produziu-se e guardou-se, ao longo dos seus 118 anos, a memória norte-rio-grandense do perigo do esquecimento.

Bruno Balbino Aires da Costa 
Sócio efetivo do IHGRN

sábado, 28 de março de 2020

Daniel Azulay morre aos 72 anos; artista tratava câncer e contraiu covid-19



Nascido no Rio de Janeiro, o desenhista criou a Turma do Lambe-Lambe e nas décadas de 1970 e 1980 apresentou, ao lado de seus personagens, um programa de TV que ensinava técnicas de ilustração e dava dicas de como construir brinquedos com lixo doméstico.


Em 2009, ele ensinou desenho em vídeos na plataforma UOL Crianças, do portal UOL, fez especiais para o canal Futura e chegou a participar da TV Rá-Tim-Bum. A partir de 2013, Azulay ressurgiu dando aulas para crianças em um outro projeto idealizado por ele mesmo.


"Eu vivenciei muitas coisas bonitas na televisão, no universo das crianças. Trabalhar com criança é gratificante porque você pode se multiplicar, você pode criar de forma quase infinita. Isso é muito fascinante. Foi um prêmio que eu recebi", resumiu ele, durante participação no Bate-papo UOL.

Conteúdo UOL

sexta-feira, 27 de março de 2020

Professora lagoanovense publica poema inédito

Nesses dias de quarentena, em enfrentamento ao Covid 19,  Professora  lagoanovenses Maria José de Oliveira Macedo, da rede municipal de ensino,  autora do texto poético,   destaca  que o poema  é direcionado ao público  infantil, com a intenção de estimular cada vez mais a leitura e a curiosidades das crianças. Pois a leitura leva a grandes descobertas e que isso deve começar ainda na infância. 
Por isso, há uma necessidades de leituras, que chamem a atenção e seja prazerosa para os pequenos. A seguir, leia os versos na íntegra:

Curiosidade

Que curioso
Um bichinho tão bonito
Com jeitinho gracioso
Recebe o nome de inseto!
Um nome tão espantoso.

Com seu voo silencioso
Batendo as asas ligeiro
Pois não é que as antenas
Servem pra sentir o cheiro.

De perninhas pequeninas
Não dá nem pra imaginar
O gostinho que elas sentem
Sempre bailando no ar.

Borboleteiam as borboletas
O tempo inteiro no jardim
É uma folia de cores
Sempre brilhando pra mim.


Maria José de Oliveira Macêdo